terça-feira, 5 de agosto de 2008

Novo livro: "As Sete Virtudes do Líder Amoroso"


Agora já é realidade e já posso divulgar. Acaba de ficar pronto meu novo livro. A partir do dia 04 de agosto já estará disponível nas melhores livrarias. Para os meus amigos e amigas de BLOG, disponibilizo hoje, em primeira mão, alguns trechos da introdução, para que você possa ter uma idéia de que é este novo livro.


AS SETE VIRTUDES DO LÍDER AMOROSO
Quando James C. Hunter escreveu seu Best Seller, O Monge e o Executivo, teve uma intuição genial sobre a “essência” da liderança: verdadeiro líder é aquele que tem autoridade e não simplesmente aquele que tem o poder. Com a autoridade conseguimos influenciar as pessoas para que o grupo, de modo coeso, atinja os seus objetivos. Toda sociedade precisa de um líder. Toda empresa de sucesso tem em sua história alguém que soube exercer a liderança de um modo determinante e influenciou as pessoas em vista do bem comum.

A QUESTÃO FUNDAMENTAL
A questão fundamental, portanto, é descobrir a dinâmica pela qual desenvolvemos nosso potencial de autoridade pessoal. Será que todos podemos ser líderes? Ou alguns estão fatalmente condenados a ser apenas liderados? Liderança seria puro carisma? Ou é 10% de inspiração e 90% de transpiração?O Monge sugere aos Executivos - que buscam a fórmula do sucesso para seus empreendimentos - atenção ao exemplo de Jesus Cristo. Sua autoridade era tão marcante que alguns chegavam a dizer: “Até o vento e o mar o obedecem”. Na verdade o próprio mestre revelou seu segredo quando ensinou seus seguidores que “aquele que quiser ser líder, deve ser o servo de todos”. Certamente esta não é uma lição apenas para os que querem um pedaço de terra no céu, mas pode iluminar o caminho dos que se dedicam a construir um pedaço do céu na terra.

LIDERANÇA SERVIDORA
A partir desta intuição assumida por Hunter em seu livro, o mundo corporativo começou a falar de liderança servidora. A fonte da autoridade seria, então, a disposição para servir. O líder servidor é alguém que é obedecido porque antes de mandar fazer ele já fez e sabe como se faz. Sua ordem não é arbitrária. Ele sabe que é possível pintar aquela parede daquele jeito e naquele espaço de tempo. Ele mesmo já pintou muitas paredes sem precisar mais do que duas horas para fazer todo o serviço. Agora ele pode liderar os seus pintores com autoridade.Mas Hunter deu um passo a mais. A origem e o fim da autoridade não pode ser simplesmente a habilidade para realizar tarefas. A liderança é construída em uma dimensão humana muito mais profunda: a atitude! O verdadeiro líder é reconhecido até pelo tom da voz. Ele não precisa insistir muito para que as pessoas fiquem persuadidas de que seu caminho é de fato o melhor. Ele inspira confiança ao grupo porque tem uma atitude de líder. A raiz desta atitude fundamental é o que poderíamos chamar de amor, ou seja, a disposição de doar-se, de dar a vida pelo grupo. Qualquer um de nós é capaz de reconhecer a sinceridade de alguém que está disposto a dar o sangue, o suor e as lágrimas pelo projeto da empresa.

LIDERANÇA AMOROSA
Aqui já não estamos somente no âmbito do líder servidor. É muito mais… Poderíamos, então, falar de líder amoroso. Parece que o próprio Jesus percebeu isso quando disse ao grupo mais restrito de seguidores: “Já não vos chamo servos, mas amigos!” Este é o caminho que pretendemos trilhar nestas páginas. Queremos descobrir de que modo a dinâmica do amor é determinante para encher qualquer pessoa de muita autoridade e garantir o sucesso dos seus empreendimentos. Em outras palavras: o amor pode ser um bom negócio?Hunter percebeu esta passagem do serviço para o amor e utilizou o trecho mais belo da Bíblia para tentar descrever o que de fato significa esta palavra tão utilizada nos poemas e romances, mas nem sempre com o mesmo significado. O Hino ao Amor, provavelmente foi escrito por Paulo de Tarso e está registrado no capítulo 13 da Carta aos Coríntios. Primeiro em O Monge e o Executivo (Capítulo 4) e, depois, no livro Como se tornar um líder servidor (Capítulo 4) o autor procura desvendar as virtudes que comporiam a personalidade do líder. Ao ler a sua reflexão encontrei outras virtudes que ultrapassam o âmbito do serviço e nos permitem agora falar de líder amoroso. Esta é a nossa contribuição original.

Pe Joãozinho scj

Um comentário:

Marcia Cristina disse...

Parabéns!!!
Eu achei o livro fantastico, dinamico e atende as necessidades das nossas realidades atuais!E sem contar que responde a questionamentos que muitas vezes estão dentro de qualquer lider...
Parabéns e que Deus os abençoe vos dando mais e mais inspirações para este novo ano de 2010!
Feliz ano novo